Você tem vergonha do seu MVP?

3 minutos para ler

Se a resposta for sim, está no caminho certo!

Digamos que você tenha um problema e pense em criar um produto para resolvê-lo. Esse produto inicialmente precisa servir para validar a hipótese, de forma rápida e enxuta ($$$) e que atenda (ou não) as expectativas, logo estamos falando de um MVP.

Mas o que é e por que criar um MVP?

O MVP é a sigla da expressão “minimum viable product” que, em tradução para o português, significa “produto mínimo viável”.

Os MVPs também podem indicar que não solucionam o  “tal” problema, com isso, podem e devem ser descartados caso não atendam as expectativas, com o mínimo de gasto possível.

Após um discovery com sua equipe de Produto e os interessados, o MVP começa a ser desenvolvido e resolve o problema ou parte dele. Ao validar junto aos interessados eles falam: “Você deveria ter vergonha de lançar um produto assim! Existem muitas melhorias a serem feitas!”

Em outros tempos de projeto, receber um feedback dessa forma, incomodaria demais o Gerente de Projeto. Além disso, a equipe responsável pelo desenvolvimento seria massacrada por entregar um produto assim, com tantas melhorias a serem desenvolvidas.

No entanto, Reid Hoffman, fundador do Linkedin, diz:

Se você não tem vergonha da primeira versão do seu produto, você demorou demais para lançar

 

Sendo objetivo, se a sua pretensão é lançar um MVP, o principal é ter em mente qual o maior problema que o produto irá resolver,  a partir desta identificação você precisa encontrar uma solução completa ou parcial e depois colher o feedback dos usuários que demandaram uma solução para o problema. Com isso, você terá sinal verde para fazer crescer o seu produto, inclusive aparando arestas que foram reportadas no momento da validação!

Atenção: Um MVP precisa ter QUALIDADE, ele não pode ser algo ruim com infinitos erros a serem tratados, senão ele estará fadado ao fracasso.

Em linhas gerais, falaremos agora sobre alguns passos para transformar sua ideia na primeira versão do seu produto.

7 PASSOS PARA TRANSFORMAR SUA IDEIA EM MVP:

  1.  É apresentado um problema;
  2.  É feito um discovery/imersão para colher insumos de como esse problema será resolvido;
  3.  Os pontos principais são priorizados;
  4.  É iniciado o desenvolvimento do MVP (este ponto pode ser inclusive um trabalho manual a ser automatizado após a validação);
  5.  É publicada a versão do MVP, onde os principais interessados testam e aprovam/reprovam e dão feedbacks sobre o produto e suas possíveis melhorias.
  6.  São colhidas métricas de utilização e desempenho;
  7.  É iniciada uma nova rodada para implementação de melhorias;

Costumo dizer que o seu produto é um ser vivo, que vai crescendo em funcionalidades e descartando o que não serve mais, tudo isso baseado em dados/métricas e melhoria contínua.

E como todo bom produto, é importante saber que ele possui um princípio, um meio e um fim, mas isso é papo para outra conversa =) Continue acompanhando por aqui, para saber mais.

 

Caso você queira criar um MVP, venha conversar com nossos especialistas na Eteg!

Nós teremos todo o prazer em te ouvir e te ajudar com a solução do seu problema!

Posts relacionados

Deixe um comentário