conteúdo da página

Back-end vs Front-end vs Full-Stack: qual é a melhor escolha?

5 minutos para ler

Se você está iniciando na carreira de desenvolvimento web, talvez já esteja familiarizado com os termos back-end, front-end e full-stack, mas ainda pode ter dúvidas sobre qual caminho seguir.

 Você sabe exatamente o que significam esses termos e onde se encaixam? Neste post falaremos um pouco mais sobre cada um deles.

Back-end: desenvolvendo nos “bastidores”

Também conhecido como server-side, o back-end lida com o código executado no lado do servidor. É responsável por garantir que as operações realizadas no sistema sejam válidas, legítimas e que respeitam as regras de negócio definidas. 

Afinal, embora seja essencial ter um site bonito, antes de tudo é importante ter um bom conteúdo e um lugar seguro para armazená-lo.

 

💻️ O que um programador back-end faz?

O programador back-end é responsável pelo código que dá “inteligência” ao sistema. 

É comum para ele ter que tratar os dados que recebe de um front-end ou realizar operações mais críticas, como autenticação de usuário, pagamentos, acesso ao banco de dados, etc.

 

⚙️ Quais linguagens, frameworks e ferramentas eu posso escolher?

Por ser uma área muito abrangente, existem diversas linguagens, frameworks e tecnologias para estudar, cada uma focada em diferentes aspectos e soluções.

Alguns exemplos de linguagens que podem ser usadas no back-end incluem: PHP, Java, Ruby, Python e JavaScript.

No back-end é comum também o uso de banco de dados relacionais, como MySQL e PostgreSQL, ou não-relacionais, como MongoDB e Redis, por exemplo.

Front-end: interagindo com o usuário

Também conhecido como client-side ou lado do cliente, o front-end lida com a interação com o usuário.

Toda interface em que o usuário pode interagir com o sistema pode ser considerada como front-end. Isso inclui texto, botões, links e tudo o que é exibido na tela do seu navegador web ou de um aplicativo aberto em seu smartphone, por exemplo.

O front-end abstrai toda a interação que de outra maneira seria feita diretamente com o back-end para que o usuário tenha uma experiência mais fluida e intuitiva.

 

💻️ O que um programador front-end faz?


A função de um programador front-end está relacionada com o bem-estar do usuário. É responsável por codificar a parte visual da aplicação e possibilitar a interação do usuário com ela, de forma que a experiência seja agradável.


Por ter um caráter mais visual, muitas vezes, o programador front-end também precisa ser competente em outras ferramentas que não são tradicionalmente usadas por programadores. Algumas destas ferramentas incluem programas de edição de imagem, como o Photoshop, e plataformas que possibilitam a criação de protótipos, como Figma ou Sketch, por exemplo.

 

⚙️ Quais linguagens, frameworks e ferramentas eu posso escolher?

A base para a programação front-end é o tripé: HTML, CSS e JavaScript. O HTML (HyperText Markup Language) é a linguagem de marcação que os navegadores web interpretam: o HTML é responsável por definir como uma página é estruturada.

O CSS (Cascading Style Sheets) possibilita conferir um estilo à página: é possível definir cores, posicionamento, efeitos visuais, fontes, etc.

Por fim, mas não menos importante, o JavaScript é a linguagem de programação que traz vida à página: define comportamentos, animações, condicionais, ações baseadas em eventos, e muito mais.

Tecnologias como jQuery, AngularJS, React, Vue, Foundation e Bootstrap são comumente usadas no front-end, mas existem muitas outras.

Full-stack: um pouco dos dois

O termo vem do inglês “pilha completa”, e engloba as responsabilidades do front-end e do back-end.

 

💻️ O que um programador full-stack faz?

Na prática, o programador full-stack atua tanto no front-end quanto no back-end. Isso inclui, mas não se limita a: servidor, cliente, hospedagem, estruturação ou modelagem de dados, interface e experiência do usuário, etc.

 

⚙️ Quais linguagens, frameworks e ferramentas eu posso escolher?

Atuar tanto no back-end quanto no front-end não é uma tarefa tão simples, e existe um leque gigantesco de possibilidades. Aprender as linguagens mais utilizadas e populares pode ser uma boa opção. Isso porque, quanto mais suporte você tiver para o seu produto, melhor.

Então, qual seria a melhor escolha?

Depende. Avalie o seu perfil profissional, a sua personalidade e o que melhor irá atender aos seus objetivos de carreira, bem como, os requisitos do projeto no qual você está (ou estará) envolvido. Mas não se preocupe: independente da escolha, back-end, front-end, ou full-stack, a área de desenvolvimento é vasta e receptiva a todos que queiram entrar nela.

Se você ainda não sabe o que escolher, um bom começo seria aprender JavaScript. A linguagem já nasceu no front-end e é base de tecnologias como Angular, React e Vue (temos um post sobre o assunto que vale a pena ler 😉️).

Além disso, com o advento de tecnologias como o NodeJs, é possível usar JavaScript também no back-end.

Agora que sabes mais sobre cada área, conta pra gente: qual é a área que te entusiasma mais? Back-end ou front-end? Ou será que o desenvolvimento full-stack é o teu caminho?

Ah, e caso ainda tenha alguma dúvida, entre em contato com a gente aqui.

Fique por dentro também das vagas que temos relacionadas à essas áreas: https://www.eteg.com.br/carreira/

Posts relacionados

Deixe um comentário